terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Acácio Magro
Apresentação

El Comandante
Comandante bem disposto, brincalhão, companheiro, camarada, folgazão, porreiro pá!.


Os Magros do capim



A formação desta Companhia iniciou-se no ano de 1936 em Arouca por iniciativa dos saudosos Comandantes Acácio Magro e Adelina Valente, que nesse ano viram nascer o seu primeiro mancebo que logo ingressou naquela Unidade Multi Task onde aprendeu a dar os primeiros passos que, mais tarde, lhe haveriam de ser úteis na marcha aprumada com que veio a distinguir-se.
E tanto marchou com aprumo e galhardia que acabou por marchar para tropa em 1958 e marchou para a tropa em 1969 e marchou para a Guiné em 1970. E mais não marchou porque, entretanto, a guerra acabou.

Portugal, este pequeno País à beira mar plantado, possuía, à época, um imenso império que se estendia do Minho a Timor, nas palavras do "Régulo" cá do sítio.

O Comandante Acácio, visionário como era, logo percebeu que seria muito difícil manter tanto império com tão pouca gente. E vai daí, empenha-se na produção contínua de mancebos que engrossassem as fileiras da sua garbosa Companhia e, com tanto empenho o fez que, apesar das constantes transferências geográficas de posto de trabalho que a JAE - Junta Autónoma de Estradas lhe impunha, não deixou de providenciar no sentido da sua Companhia apresentar um número de efectivos suficiente para atender a todas as frentes, se fosse caso disso.

E foi assim que, nas décadas de 60 e 70 do século passado, viu partir para terras de além mar todos os seus seis mancebos.
Comandante sempre bem humorado, viu-os partir com um misto de orgulho e coração partido e, felizmente, também os viu regressar sãos e salvos.

A mesma felicidade não teve a 2ª Comandante que acabaria por falecer pouco depois da partida do seu 5º filho para a Guiné e que ainda só tinha visto regressar um.

Enfim, malhas que o império tece!..(tecia!)





Sem comentários:

Publicar um comentário